Foto: Anderson Tozato

Construção civil: CUB registrou aumento de 5,79% nos últimos doze meses.

O Custo Unitário Básico (CUB) da construção civil pesquisado pelo Sinduscon-PR (Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Paraná) foi reajustado em 0,36% no mês de dezembro em relação ao mês anterior. O indicador de custos da construção acumulou nos últimos doze meses aumento de 5,79%, percentual menor do que a inflação medida pelo IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), calculado pela Fundação Getúlio Vargas, que atingiu 6,93%. No mesmo período, os materiais tiveram alta de 5,86% e as despesas administrativas, 4,94%. Os custos com a mão-de-obra acumularam reajuste de 5,83%.

No mês de dezembro, os materiais registraram aumento médio de 0,68%. Alguns produtos tiveram aumentos significativos, como a placa cerâmica (5,90%); fechadura tráfego em ferro (5,56%); bacia sanitária (5,17%); disjuntor tripolar (3,33%) e vidro liso 4 mm (2,33%).

CUB determina custos

De acordo com a nova norma, o custo médio representativo da construção habitacional (padrão R8-N, para edifícios com 8 pavimentos, 3 dormitórios e acabamento normal) passou para R$ 710,46 o metro quadrado. Na formação destes custos não são considerados diversos itens como projetos, fundações, submuramentos, elevadores, ubanização, impostos e taxas, remuneração do construtor, entre outros.

Divulgado mensalmente pelos sindicatos da construção, o Custo Unitário Básico (CUB) é calculado desde fevereiro de acordo com a NBR 2.721/2006, da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Elaborado de acordo com onze projetos-padrão, o CUB determina o custo global da obra para fins de cumprimento da lei de incorporações e tem fins exclusivamente comparativos ao custo real da obra, pois este só é obtido através de um orçamento completo com todas as especificações de cada projeto em estudo ou análise, esclarece o presidente do Sinduscon-PR, Hamilton Pinheiro Franck. Atualmente, a variação percentual do CUB tem servido como mecanismo de reajuste de preços em contratos de compra de imóveis em construção e até mesmo como índice setorial.