A secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Tatiana Prazeres, enfatizou hoje que uma série de medidas para estimular as exportações estão em análise no governo. Ela disse, por exemplo, que medidas cambiais já são discutidas no ministério da Fazenda e que o resultado deficitário da balança comercial de janeiro deve ampliar o engajamento dos demais ministérios na busca por saídas para elevar as vendas brasileiras para o exterior. “O financiamento é um componente importante entre as medidas. Também buscamos uma simplificação das exportações e fazer com que as empresas de menor porte também passem a exportar”, disse a secretária.

Uma outra ação que está em estudo, conforme Tatiana, é vincular a inovação de produtos e a promoção de comércio exterior ao aumento das exportações de itens com maior valor agregado. “Precisamos de medidas que levem em conta o novo cenário internacional, que leve em conta o desaquecimento de economias maduras”, pontuou. Por isso o MDIC está empenhado, segundo Tatiana, na busca de novos mercados. Alguns exemplos, conforme a secretária, são países do norte da África ou até da América do Sul, como a Venezuela, que são nações com maior risco e, portanto, que acabam encarecendo o custo do crédito para o exportador. “É preciso pensar um financiamento que estimule as exportações para esses tipos de países”, declarou.

Tatiana destacou o forte crescimento da média diária das exportações para o Congo, saindo de US$ 200 mil em janeiro do ano passado, para US$ 7,1 milhões, em janeiro deste ano. Os principais produtos destinados ao país africano no mês passado foram construções pré-fabricadas, máquinas, equipamentos e eletroeletrônicos.