O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, afirmou hoje que o Brasil está em uma velocidade de recuperação do nível da atividade econômica. “A economia brasileira mostra sinais de ter crescido no segundo trimestre e de continuar a crescer no terceiro trimestre”, avaliou. “Portanto, isso mostra uma trajetória clara de que há sinais antecedentes de que o País já saiu da recessão.”

O presidente do BC ainda disse que tem a expectativa de que o Brasil chegue ao fim deste ano “em uma trajetória de expansão” e que o ano que vem seja o início de um processo de retomada do crescimento sustentado que prevaleceu nos últimos anos. Meirelles fez esses comentários na 17ª reunião dos presidentes de bancos centrais dos países membros do Mercosul, na capital paulista.

Moeda local

 

Meirelles afirmou ainda que o Uruguai pode ser o próximo país da América do Sul a adotar, junto com o Brasil, o sistema de comércio em moeda local. Esse acordo permite que os países signatários façam operações comerciais com suas respectivas divisas, sem a necessidade de câmbio para o dólar americano. O acordo já é adotado entre Brasil e Argentina, com o aumento do número de operações e de empresas participantes, embora Meirelles tenha ressaltado que os volumes de recursos envolvidos não vêm apresentando expansão substancial por causa de alguns fatores. “Os volumes não são grandes por uma série de circunstâncias relacionadas à questão dos preços, muitos deles fixados em dólar, e também a financiamentos. Essas questões estão sendo gradualmente resolvidas”, afirmou.

De acordo com Meirelles, o montante de recursos em operações que envolvem o sistema local de moedas vai crescer não só devido ao avanço das operações realizadas entre empresas brasileiras e argentinas, mas também com o implemento de recursos empregados pelo acordo, quando for adotado por outros países. Além do Uruguai – que passaria a negociar com o Brasil em moeda local em 2010 -, Meirelles destacou que o Chile também tem interesse em participar desse sistema de trocas comerciais. Porém, Meirelles ressaltou que os esforços serão primeiro implementados entre Brasil e Uruguai, para depois serem estendidos para outros países.

Meirelles ainda destacou que, além de nações da América do Sul, há interesse manifestado por países de outros continentes que estudam a eventual implementação de um sistema semelhante com o Brasil. Entre eles, o presidente do BC apontou a Índia, a China e, recentemente, a Rússia.