As montadoras e outras empresas da cadeia automotiva estão focadas no profissional especializado. A mão de obra cada vez mais capacitada tem prioridade no ingresso e na ascensão dentro da empresa.

Existe uma grande demanda de conhecimento e quem deseja entrar ou já atua na área deve estar atento. “A área é muito promissora e as empresas estão investindo nisto. Antes, as montadoras importavam projetos e adaptavam à realidade brasileira. Hoje, as empresas já desenvolvem projetos de engenharia próprios que até vão para o exterior”, explica Jorge Luiz Riechi, engenheiro mecânico, mestre em engenharia de produção e professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Ele é coordenador de um curso de especialização em Engenharia Automotiva, lançado recentemente em uma parceria da universidade com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) do Paraná.

A necessidade de um curso como este originou de um estudo realizado pelo Observatório de Desenvolvimento Industrial do Sistema da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), que abrange o Senai.

Segundo a coordenadora do observatório, Ariane Hinça Schneider, há dois anos teve início um trabalho específico com o setor automotivo de Curitiba e Região Metropolitana.

O intuito foi traçar um panorama sobre como o segmento estará em 2020 e como se planejar para daqui a 10 anos. “Um dos cenários indicados foi a formação de competências técnicas, ou seja, mão de obra local qualificada”, comenta.

O resultado foi a criação de um curso de especialização. O observatório e representantes das empresas se reuniram e desenharam a matriz curricular e o conteúdo, pensando em como atender a demanda da indústria. A primeira edição do curso teve início do mês passado e a procura foi superior ao número de vagas.