O mercado de petróleo está de volta a um quadro de excesso de oferta, de acordo com relatório do banco de investimentos Jefferies. O mercado físico volta a ter excesso de oferta por causa do aumento da produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), sobretudo ante as melhores condições de segurança na Líbia e na Nigéria, diz o banco.

A menos que a Opep adote alguma medida na reunião do fim deste mês, em um patamar de um corte de 700 mil barris por dia, o equilíbrio do mercado pode chegar apenas no quarto trimestre de 2017, segundo o banco de investimentos. No curto prazo, o Jefferies vê risco de uma alta na produção da Opep para 34,5 milhões de barris por dia em novembro, de 33,5 milhões de barris por dia em agosto. Com isso, um corte eficaz da Opep pode ser uma meta difícil de atingir, adverte o banco. Fonte: Dow Jones Newswires.