A Alemanha e o Reino Unido continuam divergindo a respeito da introdução de uma taxa sobre transações financeiras em nível europeu. No entanto, concordaram sobre um limite para o aumento do orçamento da União Europeia (UE), de acordo com declarações feitas hoje pela chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, após um encontro em Berlim.

“Nós concordamos em dizer que uma taxa sobre transações financeiras global seria introduzida por ambos os países imediatamente”, disse Merkel. Porém a chanceler notou que não houve progressos para a possível introdução de uma taxa apenas na Europa. A Alemanha quer que a UE seja pioneira na imposição da taxa, enquanto o Reino Unido resiste a isso, temendo ameaçar a posição de Londres como um centro financeiro.

Os dois líderes concordaram mais sobre o orçamento da UE. “Não é aceitável que o orçamento cresça em 5%”, afirmou Cameron, referindo-se a uma proposta do Parlamento Europeu. Os esforços para controlar os orçamentos nacionais devem ser seguidos pelo orçamento da UE, defendeu Merkel, propondo que os gastos cresçam apenas para ficar perto do índice de inflação.

Após recentes divergências entre os 17 países pertencentes à zona do euro e os 10 da UE que não utilizam a moeda comum sobre uma possível mudança no tratado da UE, Merkel sugeriu que uma alteração no tratado poderia ser adotada apenas pelas nações que adotam o euro. As informações são da Dow Jones.