Foto: Átila Alberti/O Estado

Laux: boa parte deve optar pela nova linha de financiamento.

O financiamento para a casa própria com taxa pré-fixada, sem cobrança da Taxa Referencial (TR), deve alavancar o fechamento de novos contratos no Paraná. Até o início de outubro, o banco já havia emprestado R$ 776 milhões em financiamentos habitacionais no Estado, o que totalizou cerca de 34 mil contratos. Até o final do ano, a estimativa é chegar à cifra de R$ 1 bilhão, e 42 mil novos contratos.

?Ainda não há previsão de quanto essa nova modalidade vai alavancar, mas desses 8 mil novos contratos que devem ser fechados até o final do ano, uma boa parte deve optar por essa nova linha de financiamento?, apontou o gerente regional de negócios da Caixa, Gueber Roberto Laux.

Segundo Laux, a grande novidade da modalidade é a possibilidade da pessoa contratar um financiamento para a compra da casa própria sem a TR, com juros a partir de 11,9%. ?A pessoa vai ter, com antecedência, conhecimento da prestação que irá pagar?, explicou.

Lançada na última segunda-feira, a nova modalidade ainda não foi totalmente finalizada. Faltam, por exemplo, informações a respeito da redução de juros, da quitação antecipada e do bônus por adimplência. Laux afirmou que os mutuários que já têm contrato de financiamento com a Caixa não vão poder migrar para a nova modalidade. ?Trata-se de um contrato diferente?, explicou. Entre as diferenças das modalidades está uma taxa de juros menor – no plano pré-fixado – no caso do mutuário optar pelo débito da prestação em conta corrente ou consignação (débito em folha de pagamento). Já no plano antigo, o mutuário não era beneficiado se optasse pelo débito em conta.

Também o prazo de financiamento é menor na nova modalidade: 180 meses (15 anos) ao invés de 240 meses (20 anos). Segundo Laux, nos planos com TR, o valor das parcelas diminui mais rápido. ?No sistema Sac, a amortização ocorre desde a primeira prestação. Por outro lado, o inconveniente é que a pessoa precisa ter uma capacidade maior de recursos no início. Já no plano pré-fixado (sem TR), a tendência é que a amortização ocorra apenas ao longo do tempo?, explicou.

Segundo Laux, para que as pessoas de fato consigam manter em dia as prestações do financiamento, o ideal é que elas financiem até 70% do valor do imóvel, financiem por, no máximo, 15 anos e comprometam até 25% da renda. A taxa de inadimplência entre os mutuários da Caixa é de 6%.

No Paraná, a Caixa emprestou R$ 523,8 milhões em financiamentos de imóveis no ano passado, totalizando 28.841 contratos – o volume ficou bem acima dos R$ 290,4 milhões e 17.775 contratos registrados em 2004. Em nível nacional, a intenção da Caixa é alcançar, este ano, R$ 14 bilhões em empréstimos para financiamentos.