A Sun Microsystems, uma das maiores empresas de tecnologia dos EUA, chegou a um acordo de US$ 1,6 bilhão com a gigante do software Microsoft no caso do processo antitruste movido pela Sun. A fabricante de computadores disse, na seqüência do acordo, que iria elaborar um plano de colaboração com a Microsoft – que já foi chamada pela Sun de “monopolista teimosa”.

O acordo foi uma surpresa e veio ainda acompanhado da notícia de que a Sun pretende cortar 3.300 empregos e que suas perdas líquidas no primeiro trimestre fiscal deste ano serão maiores que o esperado. O corte de emprego representa uma redução de 9% na força de trabalho da Sun – equivalente a 3.300 vagas -, que tem mais de 35 mil funcionários.

O acordo entre as empresas põe fim ao processo antitruste de US$ 1 bilhão movido pela Sun contra a Microsoft.

Pelos termos, a Microsoft irá pagar US$ 700 milhões à Sun, para encerrar o caso antitruste – que estava marcado para ir a julgamento em janeiro de 2006 – e US$ 900 milhões para resolver questões relativas a patentes. Ambas as empresas pagarão royalties pelo uso de suas tecnologias.

“Nossas companhias vão continuar sendo concorrentes, mas este acordo cria uma nova base de cooperação que vai beneficiar os clientes de ambas empresas”, disse Steve Bal-lmer, diretor-geral da Microsoft.

Java

A principal acusação do processo antitruste contra a Microsoft envolvia a linguagem de programação Java, criada pela Sun para permitir que os aplicativos funcionassem em qualquer computador, independentemente do sistema operacional utilizado.

A Sun alegava que a Microsoft, ao criar sua própria versão do Java, violou os acordos de licenciamento entre as empresas. Além disso, o Java desenvolvido pela companhia de Bill Gates não era compatível com todos os computadores.

O acordo marca ainda uma mudança sem precedentes no relacionamento entre as duas empresas.