O ministro de Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, reiterou em entrevista publicada neste sábado pela revista WirtschaftsWoche que se opõe ao aumento de impostos no país, dizendo haver pouco espaço para concessões nas conversas entre conservadores do partido de Angela Merkel e a esquerda de oposição. Schäuble também reforçou que é contra a amortização da dívida para Grécia e a mutualização das dívidas europeias por meio da emissão de bônus comuns para zona do euro.

Os eleitores alemães elegeram os conservadores para governar e é por isso que há “espaço extremamente pequeno para concessões”, disse ele à revista. As declarações do ministro surgem em meio a preocupações entre as empresas alemãs de que Merkel, a fim de constituir um governo de coalizão, pode ceder à pressão de seus oponentes e concordar com um salário mínimo estatutário ou aumento de impostos para os ricos.

“Eu era contra os aumentos de impostos antes das eleições e ainda sou. Nada mudou e qualquer outra especulação não tem sentido”, afirmou Schäuble à WirtschaftsWoche. De acordo com ele, os tributos atuais são suficientes. Fonte: Dow Jones Newswires.