O ministro do Orçamento da França, Bernard Cazeneuve, garantiu nesta quinta-feira que o governo não vai elevar impostos e taxas de contribuição social para pessoas físicas ou jurídicas entre 2015 e 2017. Cazeneuve disse ainda que o país vai se concentrar em cortes de gastos para ajudar a reduzir o déficit orçamentário.

Na terça-feira, a Comissão Europeia apelou à França que tome medidas adicionais para colocar suas finanças numa trajetória mais sustentável e previu que o déficit fiscal do país ficará em 3,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015, acima do limite de 3% estabelecido para integrantes da zona do euro e também acima da projeção do governo francês, de 2,8%.

Cazeneuve, que em entrevista a uma emissora de rádio prometeu solenemente não elevar impostos no período acima, também disse que o governo pretende cortar 3 bilhões de euros (US$ 4,05) em gastos neste ano para liberar fundos para áreas prioritárias como criação de empregos, operações de defesa no exterior e compromissos do orçamento, de forma a evitar que o déficit fiscal ultrapasse o teto de 4,1% do PIB. Fonte: Dow Jones Newswires.