O ministro do Trabalho e Emprego (MTE), Manoel Dias (PDT), disse que espera redução significativa no fechamento de postos de trabalho em agosto no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que será divulgado nesta sexta-feira, 25. Em julho, o cadastro registrou mais de 158 mil demissões – o pior resultado desde 1992. Para o ministro, o cenário ainda é negativo, mas há “expectativa” de retomada no próximo ano.

“O fechamento de postos de trabalho deve reduzir bem. Nossa expectativa é essa”, afirmou o ministro, durante inauguração de um posto do Ministério, no Rio. “O cenário ainda é negativo. Não se modifica abruptamente um processo que vem desde janeiro suprimindo postos de trabalho”, completou.

O ministro atribuiu o cenário negativo ao “momento de dificuldades” que o País enfrenta. Dias ainda afirmou não ser “otimista”, mas disse acreditar que hoje o País tem uma capacidade maior de recuperação.

“É lamentável a perda de cada emprego. Nossa esperança é que em 2016 tenhamos uma recuperação para a situação em que nos encontrávamos em 2014, com a retomada da capacidade de investimento”, afirmou. “Queria que fosse amanhã, mas temos que levar em conta as dificuldades que vivemos. Há uma campanha pessimista de quem perdeu a eleição e não aceita o resultado. Quer criar uma instabilidade não para o governo, mas para o País”, afirmou.

Dias ponderou ainda que o País “dobrou de tamanho econômico” nos últimos 12 anos, com a inclusão da classe média no mercado de consumo, a ampliação das reservas internacionais e o maior dinamismo da economia. “É outro País. A capacidade de recuperação aumentou e muito. Tem outra dinâmica que não é aquela de dez anos atrás. A expectativa é que a capacidade de recuperação seja mais efetiva que no ano passado”, afirmou.