Foto: SECS

 Reunião no Chile: negócios cresceram com as missões.

Depois de dois anos de missões comerciais realizadas entre o Paraná e os países latino-americanos e lideradas pelo governador Roberto Requião, o Estado alcançou alta de 77% nas exportações para a América Latina no último ano. Com um volume de US$ 893 milhões em 2003, as exportações paranaenses saltaram para US$ 1,580 bilhão em 2004 para os países que formam a região.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira pelo secretário da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Virgílio Moreira Filho, que acrescentou: ?Apenas de janeiro a outubro, o Paraná já vendeu US$ 1,621 bilhão para os países da América Latina, mais que em todo o ano passado?.

Em específico para os países do Mercosul (Argentina, Uruguai e Paraguai), acrescentou Moreira Filho, o Paraná apresentou alta de 66% de 2003 sobre 2004, com valores de US$ 500 milhões que saltaram para US$ 830 milhões em dezembro passado.

Participando em feiras internacionais, missões técnicas, eventos em províncias e com os governos federais dos países, o Paraná apresenta hoje dados expressivos do comércio com os países vizinhos.

Com a Bolívia, o Paraná teve alta de 85%, com o Uruguai 82%, com a Argentina 91%, com Colômbia 127% e com a Venezuela, o Estado alcançou índices de 423%.

Empresas

O aumento das exportações paranaenses para o mercado latino ganha também maior força e respaldo pelo número de empresas paranaenses que ingressaram no comércio internacional. ?Passamos de 1.735 empresas exportadoras em 2003 para 1.846 em 2004, dados de inclusão sobretudo de pequenos e médios empresários que passaram a exportar com apoio e suporte do governo estadual com as missões governamentais?, analisou Moreira Filho.

Só no governo Roberto Requião, foram realizadas 22 missões governamentais e empresariais. Os países latino-americanos foram o foco principal na escolha de abertura e de novos mercados. ?Missões ao Chile, Argentina, Venezuela, Paraguai, Uruguai e Bolívia foram realizadas até mais que uma vez?, disse o coordenador de Assuntos Internacionais e do Mercosul, Santiago Gallo. ?O governo, seguindo ao lado do empresário nas missões, gera maior credibilidade para as empresas paranaenses aos olhos do negociador?, afirma.

2005

Neste ano, o Paraná já vendeu aos países vizinhos cerca de US$ 570 milhões e, em países como o Chile, Colômbia e a Venezuela, as exportações paranaenses entre janeiro e outubro já ultrapassaram o total de todo o ano de 2004.

No caso venezuelano, a última missão do Paraná realizada ao país foi mais longe: firmou negócios iniciais de US$ 115 milhões alcançados em apenas dois dias de missão. Segundo a representante comercial do governo venezuelano, Luz Emilia Toledo, a missão provou que o Paraná terá excelentes oportunidades de negócios na Venezuela.

?Areia, cal, plástico, alumínio, óleos, minerais e derivados químicos e do petróleo são alguns produtos que nosso País têm a oferecer para o importador paranaense?, apontou. ?A Venezuela possui um enorme déficit comercial com o Brasil e o Paraná. A entrada de empresas paranaenses no mercado venezuelano também representa grande ganho?.