O Ministério Público do Trabalho (MPT) no Paraná ajuizou, na última segunda-feira (28), em Toledo, uma ação civil pública contra a unidade local da Sadia, pedindo que a empresa seja condenada a pagar multa de R$ 50 milhões, por dano social.

A companhia vai ter que dar explicações à justiça quanto ao ambiente de trabalho, considerado inadequado pelo MPT, bem como a possíveis riscos à saúde do trabalhador.

A ação foi motivada por uma investigação dos fiscais do MPT, que constataram, entre outros problemas, trabalho em locais excessivamente frios, jornadas exaustivas em um ritmo considerado “incompatível com a saúde e dignidade humana”, sem pausas nem repouso semanal remunerado, além do não pagamento de horas extras.

De acordo com o procurador Bruno Ament, que cuida do caso, há na empresa “uma verdadeira epidemia de doenças ocupacionais”. A Sadia informou que ainda não tem condições de se posicionar sobre o assunto, porque não recebeu citação.