Curitiba vai ganhar o primeiro espaço permanente de comercialização de produtos orgânicos do Brasil. Segundo o secretário municipal de Abastecimento de Curitiba, Antônio Leonel Poloni, a idéia é fortalecer o mercado desses produtos para reduzir o preço ao consumidor. Segundo ele, a Região Metropolitana (RMC) da capital é responsável por 20% da produção estadual.

Na RMC, 700 produtores rurais trabalham com a agricultura orgânica. Mas, segundo o secretário, a produção ainda é insuficiente para atender a demanda e, em conseqüência disto, os preços não são acessíveis para a maior parte da população. Com o mercado, espera-se fortalecer o comércio de atacado e varejo, ampliando o número de consumidores e reduzindo o preço dos produtos.

Outro motivo que levou a Prefeitura a criar o espaço foi uma pesquisa feita este ano com o público que freqüenta o Mercado Municipal. Nela, foi constatado que as pessoas querem que seja criado na cidade um ponto fixo e diário para a venda de orgânicos. Hoje existem apenas quatro feiras e elas acontecem uma vez por semana. A previsão é que outras quatro entrem em funcionamento até o fim do ano.

O mercado será construído na Rua da Paz, onde hoje é o estacionamento do Mercado Municipal. Deve custar R$ 3 milhões e será erguido em parceria com o governo federal. O Executivo municipal vai ceder o terreno e arcar com um terço dos custos do prédio. Agora, a Prefeitura está terminado o projeto arquitetônico e deve enviar para Brasília para a aprovação do Ministério do Desenvolvimento Agrário. A previsão é que as obras comecem no início de 2006 e o mercado entre em funcionamento no segundo semestre.

O novo espaço terá dois pisos de 900 metros quadrados cada um, além de um estacionamento. No primeiro piso vão ficar as lojas de produtos e a praça de alimentação exclusivamente orgânica. No espaço vão funcionar cerca de 30 lojas e a distribuição será feita por meio de um processo de licitação. O segundo andar será destinado a administração e salas para eventos de capacitação.

Restaurante popular

Curitiba também vai ganhar o Restaurante da Gente, instalado na Rua da Cidadania, na Praça Rui Barbosa. As refeições vão ser subsidiadas pela Prefeitura para que o preço seja mais acessível. O restaurante vai abrir as portas a partir do final do primeiro semestre de 2006 e serão servidas três mil refeições diárias. A obra vai custar R$ 1,5 milhão, sendo um terço de responsabilidade do Poder Executivo municipal e o restante do federal.