Depois de mais de 25 anos de atuação, 15 deles sob o comando do grupo mexicano América Móvil, a marca Net, operadora de TV por assinatura e de banda larga, vai deixar de existir. Desde o mês passado, a Claro – que também pertence à gigante de Carlos Slim – começou a comunicar aos consumidores a decisão de concentrar os serviços do grupo sob a marca da operadora de telefonia. Como se trata do fim de um nome considerado sinônimo de categoria em TV a cabo, o trabalho está sendo feito aos poucos e deve levar meses.

+Leia também: Presidente da Havan anuncia que vai abrir loja na Arena da Baixada

Segundo Márcio Carvalho, diretor de marketing da Claro, a decisão, além de representar economia de custos ao concentrar investimentos em uma só marca, se mostrou viável em virtude da transformação nos hábitos de consumo de conteúdo – que está migrando da TV por assinatura para dispositivos móveis. Além disso, com a chegada de serviços de streaming que se relacionam diretamente com o consumidor – como Netflix, HBO Go e Amazon Prime Video -, a figura do “atravessador” entre produtor de conteúdo foi, em alguns casos, eliminada.

Enquanto o setor de telefonia celular cresce graças à demanda por banda larga móvel, a TV por assinatura vive um cenário de perda de clientes. Entre o início de 2016 e o fim do primeiro semestre de 2019, segundo a consultoria Teleco, quase 1,9 milhão de consumidores deixaram o setor. Ao fim de junho, o País somava 16,7 milhões de assinantes, sendo que a Net, sozinha, concentrava quase 50% do total. Todo esse contingente de clientes vai ser a transferido para a Claro TV.

“A transformação (do mercado de TV) está muito ligada à transferência do consumo de conteúdo para o smartphone”, diz Carvalho. Por isso, na hora de comunicar a mudança aos consumidores, a Claro apostou em meios digitais. A companhia usou o serviço Blast, do Google, para se comunicar com o máximo de clientes de uma só vez. Ampliando a frequência dos anúncios, que chegaram a aparecer para os usuários até 8 vezes em um só dia, a empresa combinou anúncios em formato display, vídeo e no YouTube.

+Leia também: Curitiba foi a segunda capital que mais criou postos de trabalho no primeiro semestre de 2019

Dirigido

A tarefa de informar a mudança será reforçada com anúncios em TV aberta, portais de notícias, nos pontos de venda da Claro e, naturalmente, em canais por assinatura. Ao ligar a TV, antes de acessar o programa de sua preferência, o cliente também receberá a informação de que a Net virou Claro.

Para Carvalho, no entanto, será impossível apagar a Net por completo mesmo após o fim dessa fase de transição. “Ela continuará na vida das pessoas, pois não conseguiremos trocar todos os controles remotos que estão nas casas dos clientes”.

Concurso público na Grande Curitiba tem 61 vagas e salários de até R$ 14 mil