O presidente da França, Nicolas Sarkozy, criticou a supremacia do dólar e demandou uma reforma do sistema mundial de moedas, afirmando que o atual modelo é ultrapassado e resulta da predominância econômica e política dos EUA após a Segunda Guerra Mundial. “Francamente, 60 anos depois, as pessoas precisam perguntar a si mesmas: não deveria um mundo multipolar possuir um sistema econômico multipolar?”, questionou Sarkozy durante uma entrevista coletiva concedida após uma reunião dos líderes de países do G-8 (as sete economias mais industrializadas e a Rússia) e do G-5 (Brasil, China, Índia, México e África do Sul), em L’Aquila, na Itália.

“Mesmo sendo um assunto difícil, nós o discutiremos nos próximos meses”, acrescentou. “Não é necessário ser um especialista para entender que isto é necessário para a estabilidade da economia.” Com estes comentários, o presidente francês assume uma postura semelhante a de líderes de outros países, como China e Rússia, que recentemente dispararam críticas semelhantes contra a ampla dependência do dólar como moeda de reserva mundial.

O presidente francês também disse que o G-8 precisa ser reformado e tornado mais representativo. “Claramente, o G-8 não é suficientemente representativo para enfrentar questões tão importantes como a crise econômica”, disse Sarkozy. “Não nos parece razoável que as questões internacionais mais importantes sejam discutidas sem a África, a América Latina e a China”. Sarkozy disse que apresentou à cúpula em L’Aquila uma proposta conjunta com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para criar uma nova conferência do G-14 e que seu novo formato deverá ser adotado quando a França assumir a presidência rotativa do G-8. “Precisamos responder à crise global com a reforma da governança global”, acrescentou. As informações são da Dow Jones.