O nível de atividade na indústria paulista interrompeu a queda que vinha sendo verificada desde outubro do ano passado e voltou a crescer em janeiro deste ano, de acordo com levantamento divulgado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). No resultado com ajuste sazonal, houve uma alta de 6,2% em janeiro ante dezembro.

Sem o ajuste, o INA aumentou 0,9%, no melhor resultado para um mês de janeiro desde 2002, quando o indicador subiu 8,4%. Na comparação com janeiro de 2008, a atividade industrial paulista recuou 15,7% e, no acumulado dos últimos 12 meses até o primeiro mês deste ano, o crescimento é de 2,2%.

A Fiesp revisou os resultados do INA do mês de dezembro. Após o novo cálculo, a queda na atividade foi ainda mais profunda. O resultado, com ajuste, que indicava recuo de 5,2% em dezembro ante novembro, ficou em -13,1%. O resultado, sem ajuste, passou de uma variação negativa de 17,3%, em dezembro ante novembro, para queda de 23,1%.

Uso da capacidade

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) da indústria do Estado de São Paulo também cresceu em janeiro. O Nuci estava em 75,9% em dezembro, sem ajuste, e em janeiro ficou em 76,6%.

Com o ajuste sazonal, o Nuci, que estava em 78,5% em dezembro, ficou em 78,8% em janeiro.

Confiança

A confiança dos empresários da indústria paulista não apresentou grandes alterações na segunda quinzena de fevereiro em relação ao período imediatamente anterior. A pesquisa Sensor, feita pela Fiesp, chegou a um índice de 42,3 pontos nos últimos 15 dias de fevereiro, contra 42,4 pontos na primeira quinzena do mês passado.

Dos cinco itens que compõem a pesquisa, dois se destacaram. Um deles é Vendas, que estava em 37,8 pontos na primeira quinzena de fevereiro e subiu para 41,7 pontos na segunda quinzena do mês passado. Já o item Investimento merece destaque por caminhar no sentido contrário: estava em 47 pontos e caiu para 42,8 pontos, na mesma base de comparação.

O item Mercado ficou praticamente estável, saindo de 49,1 pontos para 49,9 pontos, e é o de melhor pontuação do Sensor. O item Emprego, que estava em 44 pontos, caiu para 41,7 pontos na segunda quinzena de fevereiro. Já o Estoque apresentou pequena melhora, saindo de 34 pontos para 35,2 pontos.

Vale lembrar que, no Sensor, resultados de 50 pontos indicam estabilidade e, abaixo dessa marca, refletem pessimismo. Os resultados superiores a 50 pontos são avaliados como otimistas.