Rio

  – Foi descoberta mais uma jazida de petróleo no País, desta vez num bloco de exploração do litoral de Santa Catarina. A Petrobras, que opera o bloco em parceria com outras três empresas – Queiroz Galvão, Starfish e Coplex -, espera o aval dos sócios para confirmar oficialmente a descoberta.

Fontes do setor confirmam que o óleo foi encontrado no ano passado, mas somente testes recentemente realizados comprovaram que é de altíssima qualidade, podendo ser acima de 41º API (American Petroleum Institute, medida que dá os parâmetros de qualidade). Para se ter uma idéia, o óleo de melhor qualidade extraído da Bacia de Campos, que concentra mais de 80% da produção nacional, fica em torno de 30º API.

O bloco catarinense é divido em três zonas. A primeira foi testada, sendo comprovado que o óleo é bastante leve (de alta qualidade); os testes nas duas zonas restantes ficarão prontos dentro de duas a três semanas. Ainda segundo fonte do setor, a zona já testada pode produzir 6 mil barris diários. No conjunto, a área total poderia ter capacidade em torno de 10 mil barris diários. Os campos na Bacia de Santa Catarina são pequenos, sem comparação com os gigantes da Bacia de Campos, mas a compensação será exatamente a qualidade do produto.

Para o diretor do Centro Brasileiro de Infra-Estrutura (CBIE) e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Adriano Pires, o fator mais importante desta descoberta foi o tipo de óleo retirado. No Brasil, o mercado está acostumado a ouvir notícias de grandes descobertas de petróleo, mas sempre de um tipo pesado, com menor valor comercial devido às dificuldades de processamento no refino.