As novas cédulas de R$ 50 e R$ 100, que foram lançadas hoje pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, começam a circular ainda no primeiro semestre deste ano, segundo informou o Banco Central. As notas de menor valor – de R$ 2, R$ 5, R$ 10 e R$ 20 – serão trocadas gradualmente até 2012.

O lema da campanha de lançamento é “O Real Ficou ainda Mais Forte”. O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, também participou da cerimônia. As cédulas são assinadas por Guido Mantega e Henrique Meirelles.

As novas cédulas de real vão atender à demanda dos deficientes visuais e terão tamanhos diferentes e marcas em relevo que facilitam a identificação tátil.

“Já existiam demandas para que houvesse uma forma de os deficientes visuais identificar as cédulas”, disse o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, ao fazer o anúncio da nova família do real.

Elas também terão recursos gráficos mais sofisticados que vão protegê-las de falsificação. Foram mantidos os elementos que já existiam, como a marca dágua, e outros foram redesenhados para facilitar a identificação e dificultar a falsificação. “A população não precisa ir ao banco para trocar as cédulas. Elas (as atuais e as novas) vão conviver conjuntamente (até todas serem recolhidas), disse Meirelles.

Nas notas de R$ 50 e R$ 100, que serão lançados até junho deste ano, foram incluídas faixas holográficas diferentes. Segundo o BC esse é um dos elementos mais sofisticados contra falsificação. A substituição será feita aos poucos. No primeiro semestre de 2011 serão lançadas as cédulas de R$ 10 e R$ 20.