O novo presidente da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Complementar e Capitalização (CNSEG), Marco Antônio Rossi, que assume nesta terça-feira a entidade, disse que tem como objetivo continuar na rota de massificação dos seguros. “Temos trabalhado para mostrar que o seguro é simples. O seguro tem na sua origem a simplicidade. Temos tentado junto à Susep (Superintendência de Seguros Privados) maneiras para que o seguro possa chegar de maneira simples, com contratos mais fáceis, menos técnicos para que a população possa entender o que está comprando”, afirmou.

De acordo com Rossi, um outro objetivo é implementar o diálogo com o poder público e mostrar que o seguro também é um instrumento importante de poupança de longo prazo. Ele disse que as seguradoras também têm espaço para investir em projetos rentáveis. “Temos carteiras de investimentos importantes que podem ser usadas pelo governo para o desenvolvimento do País”, disse. Segundo Rossi, ao representar quase 6% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012, o setor abriu uma oportunidade para mostrar a importância das seguradoras. “Vamos fazer uma agenda de proposta para aproveitar este tipo de oportunidade para interagir com o governo”, disse.