O governo está preocupado com o protecionismo de mercado neste momento de crise econômica mundial. “A nossa maior preocupação é evitar que o protecionismo se alastre”, disse nesta terça-feira (10) o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, após fazer visita de cortesia ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Durante o encontro, Amorim pediu a Sarney que o Senado dê prioridade à votação dos acordos internacionais em tramitação na Casa.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, que também visitou Sarney, afirmou que o Brasil não deve levantar a bandeira do protecionismo. No entanto, assinalou que o país não pode ficar parado diante de política protecionistas: “Temos que defender os nossos interesses, os nossos empregos.” Skaf reclamou ainda que a Argentina está impondo restrições às importações de vários produtos brasileiros.

O presidente da entidade não quis falar sobre as projeções para as taxas de crescimento do país neste ano: “Começar a pregar que vamos ter uma crescimento negativo em 2009 não é saudável.”