A taxa anual de inflação apresentou forte queda nos países desenvolvidos em novembro, com a pressão menor dos preços de energia, mas subiu em economias em desenvolvimento como Brasil, China e África do Sul, segundo dados divulgados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), nesta quarta-feira.

Em média, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos 34 países que compõem a OCDE subiu 1,9% nos 12 meses até novembro, ante uma elevação de 2,2% verificada no período de 12 meses encerrado em outubro.

No Brasil, a inflação anual foi para 5,5% em novembro, de 5,4% em outubro, de acordo com a OCDE. Na mesma comparação, a inflação na China foi para 2,0%, de 1,7%. Na África do Sul, a taxa avançou para 5,7%, de 5,6%.

Apesar da alta nos países em desenvolvimento, a queda na taxa geral e de nações mais ricas sugere que os bancos centrais têm espaço para relaxar ainda mais suas políticas monetárias com o objetivo de sustentar o crescimento, comentou a OCDE.

Vários BCs adotaram medidas de estímulo adicionais em reuniões recentes, incluindo o norte-americano Federal Reserve, o Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), o sueco Riksbank, e autoridades monetárias da Turquia e Hungria. As informações são da Dow Jones.