A sustentabilidade da dívida da Grécia depende mais das políticas governamentais do que do sucesso de uma troca de bônus com o setor privado, afirmou hoje o secretário-geral da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), Angel Gurria.

A Grécia propôs uma troca de bônus para cancelar mais de 100 bilhões de euros (US$ 135 bilhões) de sua dívida soberana, o que deve estar concluído até meados de março. Combinado com resgates de países da zona do euro e do Fundo Monetário Internacional (FMI), a Grécia quer reduzir sua dívida para cerca de 120% do Produto Interno Bruto (PIB) até 2020.

Gurria afirmou que o estabelecimento de uma forte proteção financeira na União Europeia veio de 18 meses a 2 anos atrasada. “A cada dia o custo da (…) indecisão é enorme”, disse Gurria. “Em algum momento precisa haver uma declaração de vitória.”

O secretário-geral da OCDE falou antes de uma reunião dos ministros das finanças e de presidentes de bancos centrais na Cidade do México, onde a Grécia e a construção de uma proteção para a Europa serão discutidos. As informações são da Dow Jones.