O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) apurou um crescimento de 1,9% em julho de 2009 na carga de energia no País, em relação a junho deste ano, para 50,581 mil megawatts (MW) médios. Na comparação com julho de 2008, porém, esse volume representa uma queda de 1,5%. No acumulado do ano até julho, em relação a igual período de 2008, o ONS apurou uma desaceleração de 1,2%. No acumulado dos últimos 12 meses, o operador do sistema registrou um ligeiro aumento de 0,3%. Os dados, divulgados hoje, são preliminares e a carga de energia se refere ao consumo mais as perdas registradas na transmissão.

Segundo o ONS, o crescimento da carga em julho deste ano ante o mês de junho contraria a tendência sazonal, o que “pode indicar uma evolução positiva com vistas à retomada do crescimento de carga de energia em alguns setores da indústria, principalmente no Sudeste”. Já na comparação entre julho de 2009 e igual mês de 2008, a demanda foi impactada negativamente pela ocorrência de temperaturas mais baixas, inferiores às ocorridas em julho do ano passado – o consumo de energia tende a ser maior em períodos de temperaturas mais elevadas.

Entre as regiões, a carga de energia no Sudeste recuou 2% em julho de 2009 ante o mesmo período de 2008, para 31,278 mil MW médios. No Sul, a retração foi de 3%, para 8,354 mil MW médios. No Norte, o desempenho da carga foi praticamente estável (apresentou ligeira queda de 0,2%, para 3,639 mil MW médios). O Nordeste foi a única região que registrou crescimento, de 1,7%, para 7,31 mil MW médios. Esse aumento, no entanto, está relacionado à redução temporária da autoprodução de um consumidor livre, o que ampliou o consumo de energia na rede.