A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) alertou hoje que há sinais de que a demanda por produtos derivados de petróleo na Ásia, uma das principais forças motrizes do mercado da commodity nos últimos anos, está diminuindo.

Em relatório mensal, a Opep prevê que os mercados globais de derivados ficarão pressionados nos próximos meses por causa dos esforços de governos asiáticos de reduzir os subsídios para o setor e incentivar o uso de combustíveis alternativos para a geração de energia.

“A combinação de demanda fraca e a crescente oferta de produtos deverão reduzir as margens, levando à uma queda nas operações de refino (durante o inverno)”, disse a Opep.

A entidade manteve suas projeções para o crescimento da demanda por petróleo neste e no próximo ano e elevou ligeiramente sua previsão para a oferta de países que não pertencem à Opep, graças principalmente ao aumento da produção nos EUA. Segundo a Opep, a produção norte-americana deve ficar numa média de 11 milhões de barris por dia (bpd) neste ano, o melhor resultado desde 1973.

A Opep ampliou sua projeção para a oferta de petróleo de mercados que não integram a organização em 60 mil bpd para 2013, a 1,14 milhão de barris, e em 50 mil bpd para 2014, a 1,21 milhão de bpd.

A produção da própria Opep caiu 390 mil bpd em setembro, a 30 milhões de bpd, segundo fontes secundárias. A queda se deveu basicamente à forte redução de 370 mil bpd na oferta do Iraque, que está conduzindo trabalhos de manutenção em um de seus terminais de exportação.

Dados separados vindos da Líbia também mostram um recuo de 190 mil bpd na produção do país em setembro, a 407 mil bpd. O resultado da Líbia teve forte queda nos últimos dois meses após grevistas armados forçarem o fechamento de vários terminais de exportação e campos de petróleo. No começo de outubro, o ministro de Petróleo líbio disse que a produção doméstica havia se recuperado para 700 mil bpd. Fonte: Dow Jones Newswires.