O líder do Nova Democracia, principal partido de oposição da Grécia, Antonis Samaras, disse hoje que não apoiará novas medidas de austeridade e defenderá novas políticas econômicas para impulsionar o crescimento do país. Segundo Samaras, o montante obtido pelo governo com a coleta de impostos caiu em outubro, confirmando que a Grécia segue em uma luta para conseguir cumprir suas metas de déficit para o ano.

Samaras disse que os mais recentes dados mostram que a receita do governo caiu 7% em outubro, em comparação com o mesmo mês do ano anterior. A receita registra queda de 4,4%, na comparação de dez meses até outubro, em relação a 2010. O dado de outubro, porém, ainda não foi divulgado oficialmente.

Apesar das medidas de austeridade introduzidas este ano, o governo agora vê o déficit orçamentário em cerca de 9% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano – ou quase 19,8 bilhões de euros. O número é bem pior que a meta original de 17,1 bilhões de déficit. O governo afirma que novas medidas de austeridade serão necessárias.

Na sexta-feira, uma nova coalizão assumiu o poder na Grécia, com integrantes dos dois principais partidos – o Socialista (Pasok) e o Nova Democracia, de centro-direita. Samaras disse também que é preciso também buscar um cronograma mais realista para o ambicioso programa de privatizações do país, que espera arrecadar 50 bilhões de euros. As informações são da Dow Jones.