Os especialistas alertam que há mais pontos positivos do que negativos, e que é preciso tomar alguns cuidados. E não só no que se refere ao bolso, mas também aos valores.

Na opinião da consultora e especialista em Marketing de Relacionamento, Nelise Zymberg, o consumo em excesso pode ser uma armadilha a longo prazo por conta dos juros, que na maioria das vezes não são calculados pelo consumidor. ?Então a melhor dica é guardar o dinheiro e comprar à vista. Não é recomendável ficar pagando juros?, orientou. Nelise diz ainda que o consumismo é um péssimo hábito quando o assunto são os valores na vida. ?As pessoas dão mais valor para o ter do que para o ser. Estamos esquecendo do respeito, cortesia, lealdade, e pensando muito na marca da roupa, do sapato, do carro. Estamos criando uma sociedade que vive de aparências?, opina a consultora.

Nelise compartilha da opinião dos economistas sobre a geração de emprego e renda e o desenvolvimento do País na medida em que as pessoas consomem. Mas alerta que alguns problemas podem surgir a longo prazo, como por exemplo os congestionamentos (por conta do grande número de veículos vendidos), que já não são novidade nas grandes cidades. Até mesmo nos supermercados há o perigo do consumismo. ?Muitas vezes as pessoas deixam de comprar uma coisa de boa qualidade, mais saudável, que talvez vão aproveitar bem mais, e compram algo mais caro, porque têm dinheiro, e nem aproveitam aquilo?, comenta. (MA)