São Paulo (AE) – A Associação Paulista de Avicultura (APA) informa que a recente alta do preço do ovo – apontado como o vilão do índice de inflação de fevereiro – é resultado de recuperação em relação aos custos. Segundo a APA, o aumento pode atenuar os resultados negativos enfrentados pelo setor a partir do segundo semestre de 2004.

O diretor-executivo da APA, José Carlos Teixeira, esclarece que no segundo semestre de 2004 houve uma queda 11,5% no preço do produto. Segundo ele, em junho o consumidor pagava R$ 2,51 pela dúzia de ovos e, em dezembro, R$ 2,23. Essas baixas cotações traduziram-se em um prejuízo que se acumulou durante todo o segundo semestre de 2004. ?A perda provocou diminuição dos plantéis, por causa do menor alojamento e maior descarte, refletindo agora em uma baixa oferta do produto e aumento dos preços?.

Além disso, nesta época do ano sazonalmente o preço do ovo aumenta em razão de menor produtividade provocada pelo calor e pelo crescimento do consumo em decorrência do período de quaresma. ?O aumento, portanto, refere-se a uma recuperação de custos que podem atenuar os resultados negativos enfrentados pelo setor?, diz Teixeira.

No mês passado, o preço ao consumidor da dúzia de ovos registrado pela Fipe foi de R$ 2,34, ou seja, o mesmo valor do mês de fevereiro do ano passado. Em fevereiro de 2003, a cotação era de R$ 2,51.

Conforme dados da APA, o Brasil produz atualmente 15 bilhões de ovos e 7,465 milhões de toneladas de carne de frango anuais, proporcionando receita de cerca de 2 bilhões de dólares no comércio internacional.