Rio (das agências) – Você já tem sua câmera digital? se ainda não tem, é bem provável que vá adquirir uma até o final deste ano. Segundo pesquisa do instituto alemão GFK, o Brasil terá mais de dois milhões de unidades de câmeras digitais ao final de 2005, um recorde absoluto.

Os dados da pesquisa mostram que nos sete meses entre novembro do ano passado a maio deste ano foram vendidas 260 mil câmeras digitais nas lojas e magazines do País. Um importante fator que explica o grande crescimento de vendas do produto é o preço em queda, sobretudo nos modelos mais simples.

Para as câmeras digitais de 3 a 4 megapixels (campeãs de venda, com cerca de metade da comercialização no País nos meses pesquisados), a queda dos preços no período da pesquisa foi de 5,7%. Para a categoria segunda colocada na preferência do consumidor brasileiro, a de 4 a 5 megapixels (que bateu maio com 30,1% das vendas e com o maior crescimento relativo de todo o segmento), a queda foi ainda maior: chegou a 13% em 30 dias. Na média de todas as categorias, os preços vem recuando 2,2% a cada mês, informa o instituto.

A pesquisa GFK mede as vendas nos grandes magazines e lojas (e sites associados). A estimativa é que essa parte do mercado formal – gerador de nota fiscal – encerre o ano com vendas de um milhão de unidades. E que a parcela que os técnicos do instituto chama de ?mercado cinza? responda pela venda de mais um milhão de câmeras digitais.

É sabido que a maioria das câmeras digitais não atinge o preço base para se declarar na receita federal quando se chega ao País (que é de US$ 500), assim, muitos turistas entram com as câmeras que compraram lá fora e não declaram. O mesmo raciocínio vale para encomendas de sites internacionais de e-comerce; além das atividades do contrabando? que são muito elevadas no Brasil para eletroeletrônicos. Dessa forma, o mercado global do País poderá chegar a 2 milhões de unidades, explica José Guedes, executivo do GFK.

A GFK também estima que o Brasil deverá consumir até 40 milhões de unidades de celulares no decorrer de 2005 e que os celulares com câmera representam 13% da produção nacional. Os números completos sobre o comportamento do mercado no primeiro semestre deste ano serão divulgados pelo GFK durante o PhotoImageBrazil 2005, que acontece, em São Paulo, entre os dias 9 e 12 de agosto.