O primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, alertou que os mercados estão cada vez mais descrentes da capacidade da zona do euro para lidar com a crise da dívida soberana de alguns dos países do bloco monetário.

Em uma carta endereçada ao presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, Papandreou diz que os demais líderes da União Europeia deveriam acabar com as múltiplas visões sobre a crise na zona do euro apresentando ao mercado uma mensagem firme. “Não há espaço para indecisão e erros, como permitir que a cacofonia substitua uma agenda comum e crie mais pânico do que segurança”, disse o primeiro-ministro grego no documento.

Papandreou disse que o esforço da Alemanha para que os credores privados da Grécia dividam com o setor público o ônus de um novo pacote de resgate aos gregos pode se mostrar “inadequado, perigoso e muito caro”. Ele também afirmou que a Grécia não tem condições de passar de uma crise a outra e está pagando o preço pela “experimentação e confusão” da União Europeia.

O primeiro-ministro grego disse ainda que os testes de estresse aplicados sobre os bancos europeus podem causar ainda mais dúvidas nos mercados e que um segundo pacote de resgate para a Grécia seria “um alívio, mas não uma cura”, se a União Europeia não tratar as raízes da crise fiscal que assola o bloco monetário. As informações são da Dow Jones.