Dobrar as exportações do setor industrial paranaense para o mercado chinês em 2005. Este é o objetivo da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), que está programando para março uma missão comercial para a China, em parceria com o governo estadual. Ontem, a entidade reuniu um grupo de 25 empresários interessados em informações sobre a missão, que terá como principal foco a província irmã do Paraná, Zhejiang.

A intenção é aproveitar o anúncio do governo chinês de que pretende dobrar as relações comerciais com o Brasil. Até outubro deste ano, o intercâmbio comercial entre brasileiros e chineses somou quase US$ 8 bilhões, contra US$ 6,7 bilhões no ano passado. No entanto, mais de 70% vêm das exportações de produtos básicos. Por isso, a missão do próximo ano deve promover rodadas de negócios de setores como agroindústria e alimentos, autopeças, móveis, madeira, pisos e químicos.

O diretor de Novos Negócios da Fiep, Henrique dos Santos, afirma que as relações comerciais do Paraná com a China não são diferentes. Apesar das vendas para os chineses estarem crescendo, o percentual de produtos industrializados ainda é tímido. Em 2003, dos US$ 738 milhões exportados para a China, apenas US$ 273 milhões eram de produtos industrializados. No acumulado dos dez meses de 2004, os embarques para a China atingiram US$ 1,017 bilhão, porém apenas US$ 285 milhões em produtos industrializados.

"Este cenário pode mudar com a realização de missões comerciais, como a programada pela Fiep para março", diz Santos. Antes da viagem estão programadas reuniões preparatórias em Londrina e Cascavel, além de um curso intensivo de protocolo comercial. "Estas aulas vão ensinar os empresários que devem levar brindes na hora de estabelecer um primeiro contato ou que é preciso entregar o cartão com as duas mãos para seu interlocutor", diz o consultor da Fiep, Elias Antunes.

O diretor da Fiep afirma que as indústrias paranaenses, independentemente do porte, vão conversar diretamente com o setor produtivo chinês. Um acordo entre a Fiep a China Council for the Promotion of International Trade (CCPTI) de Zhejiang vai permitir a troca de cadastro de indústrias.