O Paraná apresentou em julho o melhor saldo de geração de empregos para o mês de toda série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged): 13.635 trabalhadores foram contratados com carteira assinada no período. O número é 35,4% maior que o do mesmo mês de 2007, quando 10.068 pessoas entraram no mercado de trabalho no Estado.

Segundo as informações divulgadas ontem pelo Ministério do Trabalho e Emprego, o Paraná gerou nos sete primeiros meses do ano 122.792 novos empregos formais, alta de 16,6% na comparação com igual período do ano anterior. Foi mais um recorde histórico. O resultado do período ficou próximo do de todo ano passado, quando o Paraná gerou 122.361 empregos.

O desempenho paranaense em julho foi bem superior aos dos demais Estados da região Sul. Em Santa Catarina, foram gerados 7.585 empregos e no Rio Grande do Sul 4.522. O resultado coloca o Paraná na quarta colocação no ranking nacional para o mês.

Ainda conforme os dados do Caged, a construção civil foi a atividade econômica que mais apresentou crescimento, no Paraná, em julho na comparação com igual mês de 2007. Contratou 2.722 pessoas, crescimento de 110%. Em seguida, aparece serviços, que com 4.070 novas vagas, teve expansão de 49,9%.

No comércio, foram admitidos 2.298 funcionários, alta de 4,4%. A agropecuária criou 369 vagas de trabalho, contra 110 em julho do ano anterior. O único setor que cresceu menos foi a indústria da transformação, que gerou 3.601 empregos formais.

Acumulado

Os 122.797 empregos gerados no Paraná neste ano, além de representar alta de 16,6%, também formaram o melhor resultado desde 1997 para o período e colocou o Estado entre os três que mais geraram empregos formais no Brasil.

O Paraná ficou atrás apenas de São Paulo (645.810), estado quatro vezes mais populoso, e Minas Gerais (250.333), com população duas vezes maior que a do Paraná.

Principal responsável pelo bom desempenho paranaense, ao registrar 67,35% do total das vagas, ou o correspondente a 82.697 empregos, o interior ganhou mais uma vez destaque no acumulado do ano. Já na Região Metropolitana de Curitiba, foram gerados 40.095 novos postos de trabalho, aumento de 44,2%. Só na capital, foram 25.836 trabalhadores contratados.

Com os números destes sete meses o estoque de mão-de-obra no Paraná cresceu 7,2% nos últimos 12 meses e alcançou 2.070.317 de trabalhadores com carteira assinada.