Foto: Fábio Alexandre

Edmir Ferreira: extensa pauta.

O pagamento do seguro-defeso para cerca de 500 pescadores do Paraná e a incorporação de um subsídio para o óleo diesel foram duas das principais reivindicações da classe apresentadas ontem, em Curitiba, durante uma audiência pública na Assembléia Legislativa do Paraná, ao ministro da Secretaria Especial da Aqüicultura e Pesca, Altemir Gregolin. Pela manhã, ele inaugurou uma fábrica de gelo em Pontal do Paraná, no litoral.

O presidente da Federação das Colônias de Pescadores do Estado do Paraná, Edmir Ferreira, tinha uma pauta extensa nas mãos, assim como muitos dos pescadores de todo o Paraná que participaram da audiência.

?Sobre o seguro, pelo menos 500 pescadores do Paraná estão sem receber. Com relação ao diesel, é um absurdo o que gastamos com combustível, acaba encarecendo demais os custos de produção?, reclamou.

A respeito da fábrica de gelo, Ferreira ainda não tem um levantamento de quanto poderia baratear os custos para os pescadores. ?Estimamos que a queda nos custos será de 50%?, disse.

O ministro Gregolin ressaltou a importância da profissionalização dos pescadores. Segundo ele, isso já está sendo evidenciado por meio das escolas técnicas (no Paraná há a perspectiva da criação de um instituto que vai atender principalmente à demanda dos portuários e dos pescadores) e dos vários cursos de nível superior existentes no País. Estima-se que a taxa de analfabetismo entre os pescadores da região Sul seja de 3%. Sobre o seguro-defeso, Gregolin disse que os critérios para concedê-lo estão sendo reavaliados junto ao Ibama.

Para o superintendente da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca da Presidência da República no Paraná, José Wigineski, a concessão do seguro tem que ser sim, muito bem avaliada. ?Temos todo o cuidado para conceder o seguro, pois não queremos cometer injustiças?, salientou.

Com relação ao diesel, Wigineski explicou que o governo do estado do Paraná deve regulamentar um decreto, nos próximos dias, que vai isentar o combustível de ICMS. ?Esse é um critério para conseguirmos o subsídio?, contou. Ele afirmou ainda que outra reivindicação dos pescadores do Paraná é a concessão de um subsídio para a energia elétrica (de até 60%), mas até agora não houve êxito.