O Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) divulgou ontem a segunda prévia do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) em Curitiba. Segundo a pesquisa, na segunda quadrissemana do mês o índice foi de 0,36%.

A inflação foi calculada nos últimos 30 dias terminados em 15 de setembro e foi inferior à da primeira quadrissemana, que havia sido estimada em 0,65%. Em agosto, o índice fechou em 0,87%.

Segundo a coordenadora do projeto IPC, Maria Luiza de Castro Veloso, mais uma vez o índice foi pressionado pela alta do grupo Transporte e Comunicação, que teve elevação de 1,72% nos preços de seus produtos. “A alta no grupo Transportes e Comunicação representou uma contribuição de 0,42 ponto percentual no índice geral. Caso este grupo tivesse se mantido estável, o índice da segunda prévia teria ficado negativo, em -0,06%”, analisa.

A coordenadora lembra, ainda, que o índice da referida quadrissemana só não foi maior devido aos grupos Alimentos e Bebidas, Vestuários e Despesas Pessoais que apresentaram quedas de 0,22%, 3,26% e 0,19%, respectivamente. O grupo Vestuários foi o de segunda maior contribuição para o índice geral.

Os itens com elevação de preços que mais contribuíram para a composição do IPC apresentaram as seguintes variações: automóvel de passeio e utilitário usado (2,45%); álcool combustível (6,58%); automóvel de passeio nacional zero quilômetro (1,46%) e plano de saúde (3,04%). Com queda: excursão não-escolar (-14,72%) e agasalho infantil (-29,26%).