O diretor financeiro e de relações com Investidores da Petrobras Almir Barbassa, afirmou nesta terça-feira (13) que um dos principais atrativos da refinaria adquirida pela estatal no Japão foi sua capacidade de armazenamento. Segundo ele, o total possível de ser armazenado, 9,6 milhões de barris, atende à perspectiva da Petrobras de destinar parte do combustível processado para outros mercado fora da ilha.

"Podemos vender combustível para Coréia e para China, por exemplo", citou o diretor em teleconferência internacional para detalhar o balanço financeiro da Petrobras registrado no terceiro trimestre deste ano. Barbassa também destacou a existência de um terminal de petróleo e derivados com capacidade com disponibilidade de atracação de navios de grande porte, do tipo VLCC simultaneamente em três cais existentes no local, o que facilita o comércio internacional destes combustíveis. Ainda segundo ele, a Petrobras ainda está estudando as melhores oportunidades para utilização da refinaria de petróleo leve, que tem capacidade para o processamento de 100 mil barris por dia.