Pelo quarto ano consecutivo, a Petrobras liderou o ranking dos 50 maiores lucros da América Latina, elaborado pela consultoria Economática. Em 2003, a estatal registrou um lucro de US$ 6,159 bilhões, um crescimento de 168,7% em relação aos US$ 2,292 bilhões no ano anterior. Em segundo lugar, ficou a mexicana Telmex com lucro de US$ 1,998 bilhão, um aumento de apenas 5,3% na comparação com o ano anterior (US$ 1,898 bilhão).

A argentina YPF, do setor de petróleo, aparece em terceiro com lucro de US$ 1,564 bilhão, um avanço de 58,6% em relação a 2002, quando lucrou US$ 986 milhões.

A Companhia Vale do Rio Doce subiu três posições no ranking, do sétimo para o quarto lugar. A mineradora brasileira lucrou US$ 1,561 bilhão em 2003, ante US$ 578 milhões no ano anterior, um aumento de 170,1%.

Comparado com os maiores lucros nos EUA, o resultado da Petrobras em 2003 ficaria na 17.ª posição, superior a gigantes como Procter & Gamble, Intel, Coca-Cola, Cisco, Merrill Lynch, Pfizer, BellSouth e General Motors. Em 2002, a estatal de petróleo aparecia em 35.º lugar.

Outro destaque do levantamento da Economática é que, dos dez maiores lucros da América Latina, quatro são de bancos: Itaú (6.º lugar, US$ 1,091 bilhão), Banco do Brasil (7.º, US$ 824 milhões), Bradesco (8.º, US$ 798 milhões) e o mexicano GFBBVA – Bancomer (9.º, US$ 681 milhões).