O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirmou nesta sexta-feira (5), que a empresa continuará captando recursos no mercado como sempre fez e que esse não é um sinal de que a Petrobras está com problemas financeiros e, sim, uma prática comum para empresas que realizam grandes projetos e investimentos.

“Exatamente para desqualificar essa idéia de que estamos com dificuldades nós acabamos de anunciar US$ 900 milhões captados esse mês”, disse Gabrielli, após participar do Encontro Anual da Indústria Química, na capital paulista.

Gabrielli disse que os volumes de gás e nafta devem aumentar, com a produção de petróleo do pré-sal, mas não se sabe ainda mencionar os valores. “Dadas as incertezas que nós temos hoje não posso dar uma resposta agora, porque não temos ainda informações suficientes para responder aos volumes de produção que poderemos ter do pré-sal. Vai aumentar mas não sabemos quanto”, disse.

O presidente da estatal reforçou que a produção de petróleo do pré-sal exigirá um modelo novo, diferente do atual, que não será adequado para a área. Ao mesmo tempo é preciso analisar se o custo desse modelo é viável. “Esse custo é absolutamente viável ao preço do petróleo, só que, se eu precisar de 300 desses projetos, vamos ter problemas. Vamos ter de montar um novo tipo de produção para otimizar o volume necessário do pré-sal”, disse Gabrielli.

Ele disse que, se a produção do petróleo na camada pré-sal foi realizada com o custo e o modelo atual, exigirá um investimento muito alto, que não será o mais adequado. “Mesmo que o custo não seja alto, haverá um retorno que pode ser complicado. Nós precisamos ter economia de escala, melhorar a logística”, concluiu Sergio Gabrielli.