A comissão interna da Petrobras, constituída para averiguação de não-conformidade nos contratos de fornecimento de matérias-primas para a Braskem, concluiu “literalmente” que não foi possível identificar o prejuízo financeiro causado à companhia, destacou na noite desta terça-feira, 21, em nota à imprensa, a petroquímica. Para a Braskem, “significa dizer que a Petrobras não sabe sequer se houve prejuízo”.

A Petrobras confirmou, momentos antes, em documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que o contrato de fornecimento de nafta (insumo para a indústria petroquímica, por exemplo, na produção de plástico), celebrado com a Braskem, em 2009, foi objeto de análise por uma Comissão Interna de Apuração e que identificou “não conformidades” em procedimentos internos de aprovação do contrato. Esse tema virou alvo de investigação em março deste ano.

A Braskem declarou que não pode opinar sobre eventuais falhas de governança da Petrobras. Ao mesmo tempo, informa que “sempre conduziu suas negociações com fornecedores de forma transparente, seguindo internamente as melhores práticas de governança”.

A petroquímica reiterou ainda que os preços de nafta praticados pela Petrobras “nunca a favoreceram”. “Pelo contrário, sempre estiveram atrelados às referências internacionais mais caras do mundo com efeito negativo para a Braskem e para a competitividade de toda a indústria petroquímica brasileira, como confirmam os dados do setor”, diz a nota.