O crescimento da economia da Alemanha, a maior da Europa, permaneceu sólido no quarto trimestre de 2010, principalmente por conta do comércio exterior, informou hoje o escritório federal de estatísticas, o Destatis. O Produto Interno Bruto (PIB) alemão subiu 0,4% nos três últimos meses do ano passado, em comparação com o terceiro trimestre, de acordo com dados ajustados sazonalmente pela inflação e pelo calendário. Em relação ao quarto trimestre de 2009, a expansão foi de 4%.

Os resultados vieram um pouco abaixo das previsões dos analistas, que esperavam crescimento de 0,5% ante o terceiro trimestre e de 4,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. O Destatis afirmou que, em todo o ano de 2010, o PIB da Alemanha cresceu 3,5%. Os dados do terceiro trimestre foram confirmados em expansão trimestral de 0,7% e anual de 3,9%. No entanto, o crescimento trimestral do segundo trimestre foi revisado de 2,3% para 2,2%.

As exportações líquidas foram o principal motor do PIB no quarto trimestre de 2010, mas os investimentos fixos e o consumo doméstico também contribuíram, contrabalançando o recuo do investimento em construção, por conta do clima frio. Segundo o Destatis, o desempenho do PIB no quarto trimestre foi alcançado com 41 milhões de pessoas empregadas, o que representa uma alta de 422 mil (1%) sobre o mesmo período de 2009.

França

O PIB da França cresceu 0,3% no quarto trimestre de 2010, em comparação com o terceiro trimestre, quando também havia aumentado 0,3% sobre os três meses imediatamente anteriores. Os dados foram divulgados hoje pela agência nacional de estatísticas, a Insee. A estimativa média dos economistas era de expansão de 0,6% do PIB.

O crescimento da economia francesa em todo o ano passado foi de 1,5% e ficou em linha com as previsões do governo, revertendo a contração de 2,5% registrada em 2009. No fim do ano, autoridades haviam afirmado que a economia do país estava no caminho para superar a projeção do governo. A ministra de Finanças da França, Christine Lagarde, chegou a prever uma alta de 1,6%.

O PIB mais fraco que o esperado no quarto trimestre do ano passado deixa a França em uma situação incerta no começo de 2011, um ano no qual o governo espera que o crescimento se acelere para 2%, ajudando o país a cumprir suas metas para o déficit.

Itália

Em outra divulgação do dia, o Instituto Nacional de Estatísticas (Istat) da Itália informou que o PIB do país cresceu menos que o esperado no quarto trimestre de 2010, mas continuou a avançar graças ao setor de serviços. A economia registrou alta de 0,1% no quarto trimestre em relação ao terceiro trimestre de 2010. Na comparação com o quarto trimestre de 2009, houve alta de 1,3%. Os dados são preliminares e ajustados. Economistas esperavam crescimento trimestral de 0,3% e anual de 1,3%.

No terceiro trimestre de 2010, a economia italiana cresceu 0,3% ante o segundo trimestre e 1,2% em relação ao mesmo trimestre de 2009. Em 2010, o PIB da Itália cresceu 1,1%, após contração de 5,1% em 2009. As informações são da Dow Jones.