A economia da zona do euro – que reúne os países que utilizam o euro como moeda – cresceu menos que o esperado no último trimestre do ano passado, por conta do fraco desempenho da Alemanha e da França e da contração da Grécia e de Portugal. Segundo dados preliminares divulgados hoje pela agência de estatísticas da União Europeia (Eurostat), o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 0,3% no quarto trimestre, em relação ao terceiro trimestre do ano passado.

O resultado ficou abaixo da estimativa dos economistas, de expansão de 0,4%. Em comparação com o quarto trimestre de 2009, a economia da zona do euro registrou alta de 2% nos últimos três meses do ano passado. Neste caso, a previsão era de alta de 2 1%. Em todo o ano de 2010, a zona do euro cresceu 1,7%, revertendo a contração recorde de 4,1% registrada em 2009.

A economia da Alemanha cresceu 0,4% no quarto trimestre em relação ao terceiro, prejudicada pelas severas condições do inverno. Já a França registrou expansão de 0,3% no quarto trimestre, a mesma variação do terceiro trimestre. O PIB da Itália subiu apenas 0,1% no quarto trimestre. Alemanha, França e Itália são, respectivamente, a primeira, a segunda e a terceira maiores economias da zona do euro.

Entre os países-membros menores, a economia da Grécia registrou queda de 1,4% no quarto trimestre, em relação ao terceiro trimestre do ano passado. Já a economia de Portugal recuou 0,3% no mesmo período e a economia espanhola cresceu apenas 0,2%. As informações são da Dow Jones.