A Promotoria de Investigação Criminal (PIC), a Agência Nacional do Petróleo (ANP) e o Grupo Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gerco) realizaram ontem uma operação de fiscalização em caminhões que saíam de um pool de distribuidoras de combustíveis, em Araucária, para verificar possível adulteração. Policiais do Gerco e da Rone e um promotor de Justiça pararam sete caminhões que transportavam combustível de grandes distribuidoras, na Rodovia do Xisto, a cerca de cinco quilômetros do pool. Dois deles carregavam óleo diesel e cinco, gasolina.

Com o combustível de todos os veículos foram realizados testes visuais, sendo que foram coletadas amostras de diesel de um dos caminhões e de gasolina, de outro. As amostras foram encaminhadas para análise na Usina de Química Piloto da Universidade Federal do Paraná. No caminhão com gasolina, dois testes visuais apontaram 22% e 21% de álcool misturado ao combustível aditivado, sendo que a porcentagem autorizada pela Agência Nacional do Petróleo é de 25%, com tolerância de 1% para mais ou para menos.

O promotor Paulo Sérgio M. Lima, que participou da operação, explica que o teste visual mostra apenas a quantidade de álcool misturada ao combustível, mas não descarta a possibilidade de que haja solventes misturados à gasolina, já que estas substâncias não se misturam ao álcool. “Portanto, em tese, combustíveis que em teste visual mostram menor porcentagem de álcool misturada à gasolina não estão livres de adulteração por solvente”, afirma o promotor.