O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, disse hoje que não há “nenhuma crise” com a Argentina, apesar do aumento da medida de controle de importações àquele país, que entraram em vigor neste mês.

Os importadores não só terão de apresentar uma declaração juramentada à Receita Federal antes de realizar uma compra como também deverão enviar uma nota de pedido, por e-mail, ao secretário de Comércio Interior, Guillermo Moreno, indicando todos os detalhes da importação desejada. Conforme informado pela Câmara de Importadores da República Argentina (Cira) à Agência Estado, as importações só poderão ser realizadas após aprovação da declaração e do e-mail.

“Não tem nenhuma crise nessa questão com a Argentina. O que existe com relação à Argentina são outras coisas. As exigências que o governo argentino está implantando a partir do mês de fevereiro são vistas pelos empresários brasileiros como um dificultador do comércio Brasil-Argentina, temos de esperar, aguardar a entrada em vigor dessas medidas e ver se isso vai ter impacto negativo no comércio ou não”, disse Pimentel, após acompanhar conversa por telefone da presidente Dilma Rousseff com o presidente mexicano, Felipe Calderón, para tratar de questões relacionadas ao acordo automotivo.

Questionado sobre reclamações de empresários brasileiros quanto às medidas impostas pelas autoridades argentinas, Pimentel respondeu: “Não podemos pressupor nada, temos de aguardar. A reclamação é sempre pertinente ao setor produtivo, é direito deles reclamar.”