O índice dos gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços da China recuou de 53,5 em maio para 51,8 em junho, segundo o HSBC. A pesquisa mostrou que as novas encomendas nesse setor tiveram a alta mais lenta em 11 meses no país asiático.

Em maio, o PMI de serviços chinês havia atingido a marca mais forte em oito meses. No mês passado, o crescimento mais lento da atividade e das novas encomendas levou as empresas a contratar a um ritmo mais fraco. O ritmo da criação de vagas foi o mais lento em três meses, avançando apenas marginalmente, de acordo com o levantamento.

A economista Annabel Fiddes, da Markit, responsável por compilar o dado, comentou no comunicado que o mais recente PMI mostra uma desaceleração na economia chinesa, no fim do segundo trimestre. Na avaliação dela, o ritmo mais lento da economia pode levar Pequim a adotar mais medidas de estímulo, para garantir uma aceleração no crescimento no segundo semestre que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) fique na meta oficial de cerca de 7% em 2015. (Gabriel Bueno da Costa)