O ministro da Secretaria Especial de Portos (SEP), Pedro Brito, disse hoje que o Porto de Santos (SP) estará pelo menos três vezes maior em 15 anos. Brito participa do lançamento do Plano de Expansão do Porto, resultado de 11 meses de estudos patrocinados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) ao custo de US$ 1,3 milhão.

“A mesma coisa vai acontecer com os contêineres. Vamos passar de 3 milhões de TEUs (unidade de medida de contêiner de 20 pés) para 9 milhões de TEUs. Então, isso é uma consolidação definitiva de Santos como hub port (porto concentrador) brasileiro”, disse. Ele destacou ainda a mudança do conjunto de acessos terrestres para a região da Baixada Santista. O trabalho do BNDES prevê um maior equilíbrio entre os modais de transporte de carga para os próximos 15 anos no porto. Em 2005, 58% da carga recebida na cidade vieram por meio de caminhões e 25%, por trem.

A previsão é de que esses números passem para 33% e 32%, respectivamente. A análise também estima um crescimento nos carregamentos que chegam em transporte aquaviário, seja por meio da cabotagem (navegação entre portos no Brasil) ou navegação interior (cargas que vêm pelos rios). Em 2005, 13% das cargas embarcadas e desembarcadas por Santos vieram de transporte aquaviário e a previsão é de que 29% usem esta modalidade em 15 anos.