Foto: Rodrigo Leal/Appa

Eduardo Requião debate a concessão do selo com Rodrigo Alves e Henrique Victorelli.

O Paraná será o primeiro estado a emitir um selo de qualidade para os produtos agropecuários e florestais que exporta por meio de seus portos públicos. A partir do dia 5 de fevereiro, o ?Selo Qualidade Paraná? passará a ser emitido pela empresa credenciada pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) para auditar todo o processo, desde a chegada dos produtos ao porto até o seu embarque nos navios. O selo vai garantir que os produtos exportados estejam em conformidade às normas, aos padrões e aos procedimentos nacionais e internacionais de segurança alimentar e qualidade.

?O selo cria um diferencial competitivo, agregando valor aos produtos exportados através dos Portos de Paranaguá e Antonina, além de promover uma imagem positiva do Brasil no mercado internacional?, enfatiza o superintendente da Appa, Eduardo Requião de Mello e Silva. ?É uma garantia para o importador de que os produtos exportados pelos nossos portos atendem a padrões de qualidade e boas práticas de gestão, também de sustentabilidade ambiental e responsabilidade social?, acrescenta.

O ?Selo de Qualidade Paraná? segue um conjunto de normas, padrões e procedimentos, estabelecidos pela Appa, relativos à qualidade e procedência de produtos e subprodutos de origem agropecuária e florestal exportados, compulsórios e voluntários, que são internacionalmente aceitos no comércio internacional. Os exportadores certificados poderão utilizar o selo nos produtos e fazer a sua divulgação. A inspeção e a classificação dos produtos continuam sob responsabilidade da Claspar – Empresa Paranaense de Classificação de Produtos, e a certificação será realizada pelo IGCert Instituto Gênesis de Certificação, que é a entidade credenciada pela Appa.

Certificação

?O processo de certificação começa agora, em 5 de fevereiro, para a soja, farelo de soja e milho. Depois será feito para o álcool e o açúcar e em seguida para a madeira e produtos florestais. Na última fase estaremos certificando as carnes (aves, suína e bovina)?, informa Henrique Victorelli, presidente do IGCert, considerado o maior organismo certificador brasileiro nas áreas animal e vegetal e atua diretamente em 14 estados do Brasil. ?Nós seguimos rigorosamente as normas da ISO 65 e do Inmetro e temos uma política de qualidade de estabelecer um processo de certificação independente, imparcial e transparente, que garante credibilidade e confiabilidade?, declara Victorelli.

?O Paraná é pioneiro no País ao adotar um selo de qualidade. Isso irá beneficiar toda a cadeia produtiva dos produtos agropecuários e florestais, agregando valor e dando maior credibilidade e respeitabilidade aos produtos exportados através dos Portos de Paranaguá e Antonina?, garante Victorelli. Ele explica que o ?Selo de Qualidade Paraná? vai ampliar ainda mais o mercado internacional aos produtos exportados pelo Paraná.

Valor agregado

?Num mercado cada vez mais globalizado e competitivo são maiores as exigências pela qualidade e procedência dos produtos agrícolas e florestais. Os importadores estão dispostos a pagar mais por produtos certificados, pois seus consumidores querem saber a procedência dos produtos e se eles atendem aos requisitos básicos que envolvem a segurança alimentar, sustentabilidade ambiental e respeito às pessoas. Um selo de qualidade só agrega mais valor aos produtos exportados pelo Paraná?, garante Victorelli.

O ?Selo de Qualidade Paraná? foi estabelecido por lei específica (Lei n.º 14.940, alterada pela Lei n.º 15.335 de 22 de dezembro de 2006) e é um certificado de conformidade a padrões mínimos de qualidade, nacionais e internacionais, de produtos e subprodutos das cadeias agropecuária e florestal. (AEN)