Os portos de Paranaguá e Antonina movimentaram cerca de 28,5 milhões de toneladas em 2002. Apesar da queda de quase 1% em relação a 2001, quando foram movimentadas 28,8 milhões de toneladas, o resultado foi considerado positivo, levando-se em conta que no ano passado houve queda de 2,8 milhões de toneladas na exportação de milho – que no ano anterior, provocou as filas constantes de caminhões na BR-277, rodovia que dá acesso ao Porto de Paranaguá. Com exceção do milho -cujas exportações recuaram de 4,7 milhões de toneladas, em 2001, para 1,9 milhão de toneladas – houve crescimento no fluxo de todos os outros produtos no último ano.

O balanço completo do movimento nos portos paranaenses em 2002 será divulgado ainda nessa semana pela Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina). Faltando a contabilização de menos de dez navios para a conclusão da estatística, o resultado parcial até ontem à tarde apontava 28.491.000 toneladas. Um dos responsáveis pelo resultado positivo do ano passado foi o segmento de papel, cujas exportações tiveram incremento superior a 100%. Outro destaque foi o segmento de madeiras, com aumento de quase 30% na movimentação em relação a 2001.

O maior volume movimentado no Porto de Paranaguá foi o de soja, com acréscimo de cerca de 10% na comparação com 2001, passando de 5 milhões de toneladas para aproximadamente 5,5 milhões de toneladas. No Porto de Antonina, também houve um crescimento significativo nas exportações de madeira e congelados e nas importações de sal. Em relação a 2001, o balanço do portos indica aumento nas exportações e redução nas importações, acompanhando a tendência nacional verificada no último ano.