Com as tensões aumentando sobre o destino financeiro da Grécia, em meio a uma disputa entre o país e seus credores, graduadas autoridades de Portugal estão se movimentando para dar garantias aos investidores de que o país está a salvo de qualquer possível turbulência. Atenas ainda não chegou a um acordo com seus credores para evitar um default e permanecer na zona do euro, que inclui Portugal.

Alguns analistas veem Portugal, que como a Grécia precisou de ajuda financeira durante a recente crise financeira, como particularmente vulnerável às turbulências no mercado, porque ainda tem uma recuperação frágil. O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, porém, afirmou durante uma conferência a investidores que “se algo acontecer à Grécia, Portugal não será o próximo a cair”. Segundo ele, o Tesouro português tem dinheiro suficiente para aguentar até o fim do ano, caso os investidores se tornem mais reticentes em emprestar em meio às incertezas na zona do euro.

A ministra das Finanças, Maria Luis Albuquerque, disse que a crise grega é “muito preocupante”, mas insistiu que as autoridades europeias vão fazer “tudo o que for necessário” para proteger a moeda comum. Fonte: Associated Press.