O Paraná vai participar do plano estratégico do governo federal para ampliação do volume de exportações do país. A promessa foi feita pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, ao secretário da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul, Luís Guilherme Mussi, nesta semana, durante audiência em Brasília.

O programa de incentivo está sendo coordenado pela Apex, que prevê o desenvolvimento de uma política agressiva de promoção comercial no Paraná. “Temos potencial para expandir muito nossa pauta de exportações, por isso o programa vai obter grande sucesso aqui”, explicou o secretário Mussi, cuja pasta será o parceiro paranaense do órgão do Ministério do Desenvolvimento, na elaboração e implementação das ações do plano estratégico.

Atualmente, o Paraná ocupa a quarta posição no ranking de exportações, atrás de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. O superávit alcançado pela balança comercial estadual foi o segundo mais do país, mas a pauta de exportações local ainda é constituída basicamente de produtos primários. A falta de industrialização diminui sensivelmente o valor agregado da produção agrícola, por exemplo. “Além disso, a exportação in natura ainda deixa de gerar milhares de empregos”, lembra Mussi.

Agroindústria

Para tentar reverter esta situação, o secretário também solicitou ao ministro, apoio do governo federal, ao programa de desenvolvimento da agroindústria paranaense e ao Movimento Paraná Competitivo, que estimula o desenvolvimento e o aumento da vantagem competitiva das empresas e produtos paranaenses e sua conseqüente aceitação por mercados mais exigentes, como é o caso de alguns países europeus.

Durante a audiência, o secretário ainda sugeriu a inclusão do Codesul no Fórum de Competitividade do Mercosul e apoio à análise das cadeias produtivas do estado, que busca promover a discussão e consenso em relação às oportunidades e desafios de cada uma das cadeias produtivas. Esse estudo servirá de base para implementação de melhorias necessárias para aumentar a competitividade destas cadeias.