Em meio à euforia do mercado do etanol, o setor sucroalcooleiro começou a fazer as contas e descobriu que o preço atual pode derrubar os investimentos a partir de 2008. ´A situação preocupa. O preço atual não vai ser suficiente para a expansão dos investimentos no próximo ano. Quem já investiu, tudo bem. Mas quem ainda pretende fazê-lo, vai pensar um pouco´, alerta Antônio de Pádua Rodrigues, diretor técnico da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica).

O preço do álcool hidratado voltou a cair na semana passada, desta vez para o menor nível desde junho de 2005. Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o valor caiu para R$ 0,59 o litro. A supersafra de cana, estimada em 420 milhões de toneladas, ampliou a oferta de álcool e a demanda interna e externa está aquém da expectativa. A tendência de crescimento da oferta até o auge da safra (entre julho e agosto) pode piorar a situação para os produtores.

Quem planta está preocupado. ´Os investimentos em novos canaviais ou na manutenção dos atuais estão comprometidos em 2008´, diz José Coral, presidente da Associação dos Fornecedores de Cana de Piracicaba (Afocapi). A associação dos usineiros estima que, até 2012, os investimentos em usinas e novos canaviais podem chegar a US$ 17 bilhões. São 86 novas usinas no País que podem ser afetadas e um plano que prevê elevar de 6,3 milhões para 10,3 milhões de hectares de cana.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo