O governo disse que o reajuste de 10% no preço da gasolina não seria repassado ao consumidor e até sexta-feira (2) a promessa era mantida. O diesel, no entanto, teve reajustado em 15% nas refinarias e boa parte foi repassada ao consumidor final. Nos postos visitados pelo Estado, em São Paulo, o preço havia aumentado entre 9% e 10%, para R$ 1,90 por litro.

?Foi a orientação que recebemos da distribuidora: manter a gasolina e aumentar o diesel?, explicou o gerente de um posto da Esso na zona norte da cidade. Em postos da rede BR, funcionários informaram que seria feito um ajuste neste sábado (3), mas não sabiam informar o valor.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, havia dito na semana passada que o a diferença a ser paga pelo consumidor de diesel ?seria pequena em relação ao aumento do preço do petróleo.? A previsão do governo era de que o aumento na bomba fosse de 8,8%, mas na prática, a maioria dos postos ajustou o preço acima desse porcentual.

Em todos os postos visitados, o preço da gasolina nas bombas era o mesmo praticado no dia anterior. ?Não aumentou, nem tem previsão de aumentar?, disse Jeferson Ariza, gerente de um posto Ipiranga na avenida Sumaré. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.